Cinema experimental e a produção do Espaço

O curso pretende abordar teoricamente a constituição do espaço possibiltado pelas diferentes usos da montagens no cinema experimental e expandido partindo do corpo de obra de cineastas-artistas: Jonas Mekas (1922-), Rose Lowder(1941-), Steina Vasulka (1940-) Helio Oiticica(1937-1980), Stan Brakhage (1933-2003), Paul Sharits(1943-1993), Peter Kubelka(1934-),Peggy Ahwesh (1954) Anthony McCall(1946-), Gordon Matta Clark(1943-1978), Malcom Le Grice(1940-), Martin Arnold(1961-), yann beauvais (1953-), e outrxs. Os filmes serão o corpus sob o qual nos debruçaremos a fim de perceber a condição de possibilidade criada pelos procedimento de montagem/articulação não narrativa.

 

Frame:Bed in – Jonh Lennon & Yoko Ono de Jonas Mekas

 

A construção/emergência de espacialidades serão pensadas por meio das técnicas e procedimentos de montagem utilizados, notando as potencialidades e rupturas operadas pela superação da articulação invisível de espaços-tempo (raccord). As espacialidades a serem pensadas portanto, emergem de uma dinâmica temporal na qual “o tempo não é a medida do movimento, mas o movimento é a perspectiva do tempo”. Portanto a montagem de estruturas visíveis/aparentes desse (s) cinema (s)– análoga a de arquitetura- será o código-chave, o eixo de reflexão sobre as quais estruturaremos a reflexão no curso.

 


Documentação Rose Lowder – Filme Rue des Teinturiers

____
Clique na imagem para os slides do primeiro módulo do curso: