MO_VO  (Mobiliário para a ativação da memória) nasce como um trabalho comissionado no contexto da criação do CMD (Centro de Memória e Documentação) do Programa Vocacional da Secretaria de Cultura de São Paulo.

Na pesquisa para a criação do trabalho (re) encontramos a artista Fabiana Faleiros (Lady Incentivo). Lady discute questões sobre o neoliberalismo, captura do desejo e sexualidade através da performance de canções pop, traduções-arte e composições. Convidamos a artista para se apresentar no Seminário Memórias e Identidades na Formação Artística e Cultural da cidade testando a acolhida dos artistas dos Programas de Formação à operação/modo karaokê:

MO_VO materializa modos, jogos, operações enquanto dispositivo relacional que propõe: “transformar o acontecimento em memória mas também o consumo imediato dessa memória”.

O trabalho faz eco na “paródia do artista sério” proposta por Hélio Oiticica em seu texto “Parangolé Sintesis” (Oiticica, Hélio. Barcelona: Fundació Antoni Tapies,1992).

No jogo “joco-sério” proposto, reside um convite para que se perceba o mobiliário como quase-objeto. Ente ‘vivo’ em ação, sujeito da ativação no corpo vibrátil do participante.

O proposição aberta pela canção-poema pretende ser o disparador da memória viva do participante em relação à sua passagem pelo Programa de Formação Artística, em qualquer das edições e em qualquer das ‘posições’ (artista vocacionado, artista-educador, artista-orientador, etc.).

Nesse processo simultâneo de rememoração e criação de documentação pública se experimenta uma “situação-arquivo” que se pensa e se faz ao fazer-se. É nela que o corpo-vibrátil, a memória, o repertório e o desejo do participante é convidado a iniciar a experiência de criação da canção-memória-arquivo.

Dessa experiência dupla- a de acessar a memória para si e para um ‘público’ fruidor em simultâneo- o que se espera é que se possa criar um relato potente do vivo e transformador processo de dialogismo, ludicidade e criação que se adota no Programa de Formação Artística Vocacional.

Na prática o mobiliário funciona assim, primeiro se escolhe uma canção numa lista existente no Mobiliário, logo após a canção cantada, uma série de perguntas na forma de texto em tela são propostas aos participantes sendo suas respostas de poucos minutos, gravadas pelo MO_VO.

O direito à memória aqui se faz presente por meio do acesso aos relatos, causos, metodologias, estórias e demais. Os materiais coletados serão disponibilizados para consulta e uso público.

Concepção MO_VO: Ж e Rodrigo Munhoz (Amor Experimental)

Desenvolvimento:  Estúdio Caleb AV

Equipe Estúdio Caleb AV
Produção, programação arduíno e eletrônica: Caleb Mascarenhas
Design e Marcenaria: Paulo Pires
Pesquisa, curadoria e produção: Gera Rocha
Programação Unity: Dek Wilde

Centro de Memória e Documentação Programa Vocacional: http://supervisaodeformacao.prefeitura.sp.gov.br/index.php/cmd-vocacional/