…Y__

                   …Y__      

Published by Revista Arte Contexto #8 11.15  ISSN 2318-5538

… galáxias. matéria celeste que aspira um corpo. pontos num campo de força em movimento. nas Galáxias do Campos palavras são matéria-energia. matéria bruta. concreto armado que levita. palavra luz libertada em universos de possibilidades mil. pálido papel levanta palavras em pó de estrelas. lingua(gen) de código primitivo. língua sêmen. som intensificado em sentido. cópula de quasares em expansão pensam “escrever sobre o escrever é não escrever sobre não escrever” (CAMPOS, 2004, p.10) entredito, talvez: pensar sobre o não pensado é não pensar sobre o não pensado. intuir. antever. saber sem saber que se sabe. saber espontâneo. explosivo. saber de cabeça. saber de cor. saber instintivo. abdução “spontaneous conjectures of instintive reason” (SANTAELA, 2000, p.114). um argumento, um começo.

o pensar como seta. flecha com direção ______________> com tempo. contente de saber depois do fato. feito conto pronto e. conto de fadas. fagulhas da fábula. começomeiofim. mas nem Scheherazade fez assim. contou mil e uma histórias de penúltimas noites. incontáveis noites de luz. contos com potência de dia. “futuado passente, presturo” (CAMPOS, 2000, p.187). do ponto sai a linha que é um ponto intensificado. ponto a postos.

. ___… _______………………. ________________ pontos finais como reticências. ponto sem espaço. ponto em movimento. ponto em linha de fuga. entrelinha. interlúdio.

o não pensado. entre tempo. no entre movimento vem. vem na mente. num Musement entre real ideia e signo. vidência. vem sem forma. (s)em pensamento. em transe. vem na mente. vem do ventre. vem no corpo. “o corpo sabe. mais” (OITICICA, 1974) libido pele poro. medula mente osso. saber matéria sem disciplina. saber sólido se liquefaz. causaefeito. interpenetração de todos os seres. incalculáveis causasefeito. causa se desfaz efeito muda. efeito como causa. caos.

“o lugar do pensamento são as zonas tropicais” (DELEUZE, 2000, p.163) pensabemos de sunga. suados no sol. de saia na cidade do homem nu. distraídos venceremos. desnudos. canibais devorando o (des)conhecido. errantes na “floresta e na escola” no mar. à deriva no oceanomundo. pensar de maré mansa. barra brava. barra vento. pensócio. pensalento balanço de rede sono bom. devagar quase parando. “a sábia preguiça solar. […] A energia silenciosa” (ANDRADE, 1978, p.9) uma velocidade. sabido pendular. saber. esquecer. divagar. vaivém do mar. devagar quase caymmi. arrebenta. oceano em canção. cantiga líquida. voz de Janaína. feitiço. ente iemanjá. transborda. fina linha com o fora.

dobra. saber o infinito sem a parte. saber sem território. sem corpo. saber animal em espreita. “Il lume narurale.” (SEBOOK, 1987, p.17). intimidade com o fora. na dobra do sabido o não pensado. informação em potência. magma em devir montanha. morfogêneses. hétero a homogêneo. pensar da terra. não linear. sedimenta strata. articula conteúdo e forma. não pensar. do sal ao osso. mineralizar. passo milenar. minério devir fóssil. forma homem devora o fora. um segundo do sertão ao mar. ser do sertão. “O sertanejo é, antes de tudo, um forte” (CUNHA, 1984, p.51). ser tão sem ser. exterioridade pura.

dobra terra em montanha. estabiliza. saber vertical. velocidade estática. escalar. subida sem escalas. caminhar sem conhecer. labirinto. circuito certo. roteiros por sábios sabido. “Os homens que sabiam tudo se deformaram como babéis de borracha” (ANDRARE, 1978, p.6). Ásia a Europa. viagem em contravento. pensamento contra a natureza. Ásia América. uma vela. um vento. sim ao saber da (v)ida. mapa aberto. sem decalque. sem fim. mapa nômade. “… nômades criam o deserto” (DELEUZE e GUATARRI, 2000, p.45).

o real flutua. bifurca em si. Matéria – energia – informação. atualiza intensidade. imanência corta o caos. corte em planos. em retas. em linhas. o y é o x da questão. caminhos que se cruzam. duas linhas que se cruzam. um só ponto

*

luz de galáxia ao longe

Ж

Primaverão- 2012


Referências Bibliográficas

ALLIEZ, Eric (org.). Gilles Deleuze: uma vida filosófica. São Paulo: Editora 34, 2000. ANDRADE, Oswald. Obras Completas VI: do Pau-Brasil à Antropofagia e às Utopias – Manifestos, teses de concursos e ensaios. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978.

CAMPOS, Augusto. Viva Vaia. São Paulo: Ateliê Editorial, 2000.

CAMPOS, Haroldo. Galáxias. São Paulo: Editora 34, 2004. CAGE, John. Silencio. Madri: Ed. Ardora, 2002

DE LANDA, Manuel. A Thousand Years of Nonlinear History. Nova Iorque: Swerve Editions, 2000.

DELEUZE, Gilles; GUATARI, Félix. Mil Platôs: capitalismo e esquizofrenia. vol. 5. Coordenação da tradução: Ana Lúcia de Oliveira. São Paulo: EDITORA 34, 2000.

OITICICA, Hélio. Caderno, 1974. Disponível em: http://www.itaucultural.org.br/aplicexternas/enciclopedia/ho/index.cfm?fuseaction=Detalhe&pesquisa=simples&CD_Verbete=4329 . Acesso em: 11 dez. 2012.

SANTAELLA, Lucia Teoria Geral do Signo. São Paulo: Thomson Pioneira, 2000.

SEBEOK, Thomas; SEBEOK, Jean Umiker Sherlock Holmes y Charles Sanders Peirce: el método de la investigación. Barcelona: Paidós, 1987.


Also published by Revista Engenharia Reversa n.3 Santa Catarina,Quiosque Editora, Brazil 2014

Link para baixar o texto: http://monoskop.org/File:Y_final.pdf

%d blogueiros gostam disto: